quarta-feira, dezembro 07, 2005

Imargens pode sair de Cabo Verde?

Não está a correr bem a primeira edição do Imargens, festival de vídeo e cinema dos países lusófonos. A organização do certame está insatisfeita com os parceiros cabo-verdianos, nomeadamente o Ministério da Cultura, a Câmara Municipal da Praia e a Televisão de Cabo Verde.

Luís Correia, da LX Filmes, organizadora do festival, entrevistado pela Agência Lusa, expõe as críticas àquelas entidades, pela "falta de engajamento", apesar do interesse manifestado no projecto. É o estalar do verniz.

Segundo a Lusa, a falta de público e desorganização estão a marcar, pela negativa, a primeiro edição do Imargens, que decorre na Praia até o dia 11. Luís Correia aponta o dedo ao desinteresse institucional dos co-promotores cabo-verdianos e à falta de preparação do público para uma iniciativa deste género.

Em todas as sessões, regista-se a presença de poucas dezenas de espectadores, num auditório com cerca de 500 lugares. E no dia da abertura, caíram mal as ausências do Ministro da Cultura e do Presidente da Câmara da Praia. Para a organização, a parte cabo-verdiana falhou por "não ter feito aquilo que era da sua competência" na área da divulgação do festival, que se traduziu na falta de público.

Segundo Correia, o problema deverá ser debatido na reunião das tutelas do cinema da CPLP, a acontecer este fim-de-semana, na Praia. Em causa, adiantou Luís Correia, poderá estar a opção inicial de fixar a sede do festival em Cabo Verde, ao mesmo tempo que se poderá repensar o modelo. Fica no ar a possibilidade de Cabo Verde perder este Festival, caso se provar que há de facto um desinteresse da parte cabo-verdiana.

Filinto Elísio Silva, assessor do ministro da Cultura de Cabo Verde e elemento de ligação ao Imargens, reconheceu que o governo "poderia ter feito mais". Como justificação para a reconhecida falha, Elísio Silva avança com o desgaste "em termos materiais" a que o MC esteve sujeito, devido à escassez de recursos, com a organização do XXX Aniversário da Independência que decorreu ao longo de 2005.

A Produtora LX-Filmes, o Instituto de Cinema, Audiovisual e Multimédia de Portugal, o Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, o Instituto Camões e a RTP são as parceiras portuguesas neste certame. Portugal é o único financiador do Imargens.

2 Comments:

Blogger Kamia aka Chissana Magalhães fla ma...

Que vergonha! Uma oportunidade de ouro desperdiçada por pura preguiça. Preguiça dos parceiros cabo-verdianos e preguiça do público.É triste.

Parabéns Matilde, o teu artigo está excelente.

6:25 da tarde  
Blogger Kamia aka Chissana Magalhães fla ma...

Aham...O cometário era para o post anterior sobre o Imargens. My bed.

6:32 da tarde  

Enviar um comentário

<< Volta pa Lantuna

Desde 27/11/2004