domingo, janeiro 09, 2005

Cultura com Kapa...e Espada









Crónica de João Branco


O balanço que ficou por fazer. Nesta altura do ano caímos todos na tentação de realizar «balanços» sobre o que de melhor e pior se passou no país, com os já habituais «mais e menos», «as personalidades do ano», «os vencedores e os derrotados», etc. Mas esquecemo-nos muitas vezes que o acto de balançar significa inclinarmo-nos para a frente e para trás, de forma sincopada, o que implica que no final das contas acabemos por nunca sair do mesmo lugar. O que quero dizer com isto – e eu próprio já fui tentado a me «balancear» dessa forma – é que se perdem sempre óptimas oportunidades para, tendo como ponto de partida uma análise desapaixonada e rigorosa dos factos passados, se falar do que realmente importa.

No caso da cultura, que conheceu no ano que findou perdas terríveis, voltou-se a esquecer aquilo que talvez é mais importante, e que Mário Lúcio Sousa tem abordado de uma forma particularmente feliz nos seus «Desafios à Cultura», que têm sido publicados no jornal A Semana: os graves problemas estruturais e de ausência de políticas claras para o sector que, num país como Cabo Verde, deveria ser objecto de tratamento mais do que prioritário. Choram-se os mortos, fazem-se homenagens póstumas, mas esquecemo-nos de nos questionar porquê que ninguém se lembrou de promover esse reconhecimento público com os protagonistas ainda vivos...... Lé Más

2 Comments:

Blogger Gafanhotu fla ma...

João, li com atenção e acho que além do balanço falta apresentar resultados (tangiveis e intangiveis), avalia-los destancando a qualidade ou o ganho final. Ficar pelos destaques do que foi positivo e negativo é um começo, no entanto para melhorarmos temos que ter a coragem de tomar decisões com base nos resultados e na conjuntura que se apresenta.
Se não parece que andamos em circulos, a critica não é consciente do seu papel, a qualidade confunde-se com o comercio ou a propaganda.
Como a expressão artistica é rodeado do inteligivel criar a sensibilidade colectiva é uma ardua batalha que a nossa comunidade enfrenta.

9:45 da tarde  
Blogger Matilde fla ma...

Oi João. Gostei de ler o teu texto, só fiquei curiosa com o título. Uma alfinetada para o Ministro da Cultura?

6:24 da tarde  

Enviar um comentário

<< Volta pa Lantuna

Desde 27/11/2004